A cartografia tátil e os cadernos do aluno: possibilidades e desafios para o ensino de Geografia na rede pública de São Paulo

  • Carla Cristina Reinaldo Gimenes de Sena
  • Barbara Gomes Flaire Jordão
Palavras-chave: Ensino de Geografia, Deficiência visual, Cartografia tátil

Resumo

Este trabalho apresenta uma proposta de adaptação de materiais, baseada nos princípios da cartografia tátil, para o ensino de Geografia a estudantes com deficiência visual. A pesquisa, que originou este artigo, partiu da análise dos livros adaptados e distribuídos gratuitamente pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP) para alunos matriculados regularmente no Ensino Básico público, os chamados Cadernos do Aluno. Ao avaliar os cadernos adaptados dos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental, cujos princípios da Cartografia são apresentados para os alunos, buscamos contribuir para o processo de inclusão. Discutiremos também sobre a possibilidade de adequação, a partir dos princípios da Semiologia Gráfica presentes nos mapas impressos, com a finalidade de propiciar o desenvolvimento do raciocínio geográfico desse público. Os resultados desta pesquisa foram obtidos por meio de avaliações presenciais do material com os professores da Educação Especial e alunos com cegueira e baixa visão matriculados nas escolas estaduais no
município de Ribeirão Preto (SP), com estudantes de graduação e pós-graduação em Educação Especial, além de uma professora de Geografia que ministra aulas para estudantes com deficiência visual. Na prática, obtivemos um ensino de Geografia e Cartografia com representatividade para os estudantes com deficiência, para os demais alunos e professores, e a socialização dos conhecimentos adquiridos.

Publicado
2020-12-05
Como Citar
SENA, C. C. R. G. DE; JORDÃO, B. G. F. A cartografia tátil e os cadernos do aluno: possibilidades e desafios para o ensino de Geografia na rede pública de São Paulo. Benjamin Constant, v. 2, n. 61, p. 6 - 23, 5 dez. 2020.
Seção
Artigos Livres